São Francisco, 1973. Vive em Londres

Os filmes oníricos e sinestésicos de Daria Martin tornam sensações corporais e percepções inconscientes quase palpáveis. Trabalhando com coreógrafos, músicos e atores, a artista aponta para a convergência e a continuidade entre diferentes disciplinas artísticas e convoca diferentes sentidos do espectador. Ao privilegiar o formato de películas de 16 mm, suas obras muitas vezes evocam os ideais utópicos e a estética das vanguardas modernistas. A artificialidade e a teatralidade das situações encenadas, no entanto, induzem uma reflexão sobre o filme como potencial máquina para fabricar fantasias, sonhos e ilusões.

Em In the Palace [No palácio], a escultura Le Palais à 4 heures du matin [O palácio às 4 horas da manhã], realizada por Alberto Giacometti em 1932, é reconstruída em escala humana para tornar-se um cenário habitado. Nele, bailarinos fazem coreografias inspirados na história da dança moderna, do Ballets Russes e Oskar Schlemmer à companhia de Martha Graham. A experiência desses intérpretes parece estar suspensa no tempo: seus corpos presos em um espaço hipnótico e imaginário, como peças giratórias no interior de uma estranha caixa de música.

Obras

In the Palace [No palácio], 2000
filme em 16mm, 7´
ELENCO Scarlett Sparkul, Eden Lighthipe, Toby Slezak, Ann Mazzocca
CÂMERA Xiaoyen Wang
CONTRARREGRA Karin Gulbran, Felisa Funes, Marisa Holmes, Karen Koh,
Kristi Nystul, Nicolau Vergueiro, Lisa Von Blanckensee, Trevor Watson
ASSISTENTES DE FIGURINO Felisa Funes, Trevor Watson
CONSTRUÇÃO DO SET Ben Evans, Torbjörn Vevji
FOTÓGRAFO (STILL) Torbjörn Vevji