Munique, 1966. Vive em Berlim

Em ensaios, conferências e instalações audiovisuais, Hito Steyerl reflete sobre as condições de produção, circulação e consumo de imagens na era da globalização digital. Suas análises salientam os intrincados vínculos entre o campo da arte e os interesses econômicos e geopolíticos em escala internacional. Com base em uma pesquisa extensa, Steyerl associa imagens e dados de fontes heterogêneas, muitas vezes narrados em primeira pessoa, evidenciando essas relações complexas e encobertas entre política, cultura e tecnologia.

Guards [Guardas] se estrutura em torno de entrevistas com dois seguranças de museu que falam sobre seu trabalho e experiências prévias como policiais ou militares, por meio das quais Steyerl parece estabelecer um paralelo com os meios de controle e vigilância colocados em prática para supostamente proteger o patrimônio artístico e a nação.

Obras

Guards [Guardas], 2012
vídeo monocanal, 20′
Coleção Moraes Barbosa